sábado, 10 de dezembro de 2016

Grelhador


O grelhador não deve ser muito usado por estes dias, pelo que fica ali pousado à espera, sozinho, à chuva, até que alguém possa passar algum tempo a fazer-lhe companhia e usufruir das suas qualidades.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Safou-se


Não era para ser, mas gostei tanto dele a preto e branco que não tive coragem de o estragar com aguarelas.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Sol de Outono


Às 8:20h o sol já estava cheio de força. O dia nem parecia pertencer à época. É destes dias de Inverno que eu gosto, nos quais consigo desfrutar do sol com enorme prazer sem ficar a suar por todos os lados e sem preocupações de escaldões.
As águas calmas do rio reflectiam a luz com umas cores invernais que alegraram enormemente aquele inicio de dia.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Chafariz


Uma nova entrada no caderno pequeno a preto & branco. Em tempos desenhei por aqui a cores, algures num caderno que já não sei bem qual.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Junto da torre


Não acho muita piada a desenhar monumento por inteiro ou as suas fachadas mais conhecidas. Por outro lado acho alguma piada a incorporá-los só um pouco no desenho, o suficiente para se perceber o que é e onde está.
Nesta altura o cenário até era espectacular, pois a torre estava inteiramente reflectida no espelho de água à sua frente, mas tal coisa não era mesmo a minha onda naquele momento. Apenas retive o cenário na memória e para o caderno passei uma vista mais panorâmica.

sábado, 3 de dezembro de 2016

Lezirias II


Confesso que também tenho um fraquinho por moinhos de vento metálicos. Nas traseiras da casa da minha avó em Évora havia um. Talvez por isso gosto tanto deles, recordam-me sempre bons tempos.
Quando vi este junto à estrada, perto daquele depósito azul enorme a contrastar com as cores da paisagem, não tive dúvidas de que me daria um belo prazer desenhá-lo.
O tempo estava invernal, com chuva e aguaceiros, mas o interior do carro dá um belo estúdio seco e quentinho.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Lezirias


Parámos o carro para tirar fotografias ao arco-íris que se arqueava mais ao fundo. Como alguém já se estava a encarregar das fotos, eu decidi por o lápis no papel rapidinho para um pequeno estudo da paisagem.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Risco ao meio


O meu caderno pequeno só de preto e branco andava quase esquecido, mas qualquer momento é bom para voltar à acção.
Tenho muita tendência para me esquecer que a dupla página dos cadernos têm um "risco" ao meio. No entanto devia prestar-lhe atenção mais vezes para evitar o que aconteceu com este desenho, em que o ponto principal ficou mesmo ao centro e mal definido por causa do "risco".

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

À espreita



Esta torre espreitava por entre o arvoredo e conseguiu chamar-me a atenção, numa zona que quase parecia completamente desinteressante para desenhar.

sábado, 26 de novembro de 2016

Lumina


Apesar do frio gelado a manhã estava tão luminosa que me apeteceu tentar reproduzi-la no caderno.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Doca simples


Era para ser um desenho um pouco mais demorado, mas um telefonema retirou-lhe parte do tempo e acabou por ser mais rápido. O que não tem nada de mal, até ajudou a praticar a simplificação do desenho.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Sapato


Quando na sala de espera não há nada muito interessante para desenhar, podemos sempre olhar para baixo.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Mais porto


Parece que a minha onda agora é o porto de Lisboa (na verdade sempre foi, mas ultimamente tornou-se um tsunami). Nem todas as zonas são organizadas com contentores estão todos bem empilhados. Também há algumas que ao longe parecem um pouco mais caóticas.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Fatia


Não se vê o barco todo, mas consegue-se imaginar o que falta, a flutuar no rio a um nível mais baixo do que a vista alcança.
A grua também não cabia toda na folha, por isso acabei com uma espécie de fatia daquele cenário.

sábado, 19 de novembro de 2016

Quase super lua


Cheguei eram quase 18:00. Estava com pressa porque a luz não tardava a desaparecer e depois já não ia conseguir desenhar. A lua estava grande. achei que era lua cheia, mas afinal essa estava para chegar no dia seguinte, com a denominação de "super lua".
De qualquer forma o cenário estava lindo e podia ter incorporado a lua, mas nesta escala seria quase apenas um ponto que mal dava para perceber, por isso deixei-a de fora.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Enquadrado


Há tantos pequenos enquadramentos que me criam sensações especiais. Este foi um deles, embora não saiba explicar bem porquê!

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

CCB


De manhã cedo, à luz de um céu chuvoso, a cor clara do CCB quase que se fundia com a envolvente. Só as ligeiras abertas nas nuvens davam algum contraste ao local. Eu gosto destes dias.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Rasteirinhas

.

Estas casas rasteirinhas fazem lembrar-me um pequeno pátio que conhecia em Évora, embora estas localizadas na Ajuda não tenham nada de alentejano. Mas as portas e as plantas à porta despertaram uma lembrança qualquer.
Neste dia estava frio e vento, mas enquanto desenhava saiu uma senhora por uma das portas e esteve ali um bom bocado a pentear-se, a olhar para o fundo da rua.Será que estava à espera de alguém?